HOMILIAS

SOLENIDADE DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA - C (DOM ANSELMO, OSB)

18/08/2019 - Neste domingo celebramos a solenidade da Assunção de Nossa Senhora, uma verdade que a Igreja professou desde os primeiros séculos, proclamada como dogma pelo Papa Pio XII em 1950, com a bula “Munificentissimus Deus”, onde declarava ser este dogma “revelado por Deus que a imaculada Mãe de Deus, a Virgem Maria, tendo terminado o curso de sua vida terrena, foi assunta em corpo e alma à glória celestial” (DS 3903). Ao proclamar a Assunção da Virgem Maria, o Papa Pio XII ressaltou, implicitamente, a dignidade do corpo humano. O homem chega à glória da eternidade, quando sabe valer-se dos órgãos do corpo terreno para fazer o bem, para estar a serviço de Deus e dos irmãos, foi isto que levou Maria à glorificação final. Todos nós podemos e devemos fazer o mesmo. Guardar a dignidade do corpo na terra, para que Deus o glorifique no céu.

Leia mais
XIX DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

11/08/2019 - A Palavra de Deus que a liturgia deste domingo nos propõe, exorta cada um de nós à vigilância. Jesus começa dirigindo uma admoestação aos seus discípulos, dizendo: “Não temas...”. Eles sentem medo. Sabem que são poucos e fracos diante de um mundo hostil.

Leia mais
XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

04/08/2019 - O Evangelho deste domingo nos recorda precisamente o erro de basear a própria felicidade na posse dos bens terrenos. O ensinamento de Jesus é introduzido pelo pedido de uma pessoa do meio da multidão: "Mestre, diz a meu irmão que reparta comigo a herança" (Lc 12, 13). Alguém queixa-se a Jesus porque o irmão não quer repartir com ele a herança. Segundo as tradições judaicas, o filho primogênito de uma família de dois irmãos recebia dois terços das possessões paternas (cf. Dt 21,17). É possível que só fossem repartidos os bens móveis e que, para guardar intacto o patrimônio da família, a casa e as terras fossem atribuídas ao primogênito. O homem que interpela Jesus é, provavelmente, o irmão mais novo, que ainda não tinha recebido a sua parte. Era frequente naquele tempo, que os rabinos assumissem o papel de juízes em casos similares.

Leia mais
XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

28/07/2019 - O Evangelho deste domingo nos apresenta Jesus recolhido em oração. Ele tinha o costume de passar noites e noites em oração; horas e horas em intimidade com o Senhor. Em todos os momentos da vida Jesus estava rezando. Ele fazia da sua vida uma oração e da oração a sua vida. Este exemplo de Cristo despertou em um dos seus discípulos o desejo de aprender a rezar como ele, por isto lhe disse: "Senhor, ensina-nos a orar" (Lc 11,1), e Jesus respondeu: "Quando orardes, dizei: Pai Nosso...". E ensinou a eles a oração do Pai Nosso (cf. Lc 11, 2-4).

Leia mais
XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

21/07/2019 - O Evangelho deste domingo traz um relato onde sobressaem duas mulheres, que são duas irmãs, Marta e Maria, e vivem em Betânia com o irmão Lázaro, que, neste relato, não aparece. Jesus passa por esta aldeia e, segundo o texto, fica hospedado na casa de Marta. Este pormenor dá a entender que, das duas, Marta é a mais idosa, a que governa a casa. Como de fato, depois de Jesus ter entrado, Maria senta-se aos seus pés e o escuta, enquanto Marta estava atarefada com muitos serviços, certamente devido à presença do ilustre hóspede.

Leia mais
XV DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

14/07/2019 - O Evangelho deste domingo inicia com a pergunta feita por um doutor da Lei faz a Jesus: "Mestre, o que devo fazer para possuir a vida eterna?" (Lc 10,25). Sabendo ser ele um perito nas Sagradas Escrituras, Jesus convida aquele homem a dar ele mesmo a resposta, que de fato formula perfeitamente, citando os dois mandamentos principais: amar a Deus com todo o seu coração, mente e forças e amar o próximo como a si mesmo. Então o doutor da Lei, quase para se justificar, pergunta: "E quem é o meu próximo?" (Lc 10,29).

Leia mais
XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

7/07/2019 - A Liturgia da Palavra deste domingo nos oferece algumas reflexões com uma temática missionária. O texto do Evangelho começa por nos apresentar o número dos discípulos enviados: setenta e dois (v. 1). Trata-se, evidentemente, de um número simbólico e certamente esse número se refere à totalidade das nações pagãs que habitavam a terra. Significa, portanto, que a proposta de Jesus é uma proposta universal, destinada a todos os povos, de todas as raças.

Leia mais
SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO - C (DOM ANSELMO, OSB)

30/06/2019 - Celebramos neste domingo a solenidade dos santos Pedro e Paulo, que, por graça do Espírito Santo, tornaram-se as pedras fundamentais do cristianismo. Esta solenidade nos faz recordar o martírio destes dois apóstolos, que foram mortos por ocasião da perseguição de Nero, por volta do ano 64.

Leia mais
XII DOMINGO DO TEMPO COMUM - C (DOM ANSELMO, OSB)

23/06/2019 - Neste domingo o texto evangélico traz uma pergunta formulada por Jesus aos seus discípulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Os discípulos respondem: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou” (v.19). Na opinião do povo, Jesus é comparado aos grandes personagens apresentados pela Sagrada Escritura, mas não o reconhecem como Messias, certamente porque a postura de Jesus não correspondia àquilo que se esperava de um rei forte e vencedor.

Leia mais
SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI - C (DOM ABADE FILIPE, OSB)

20/06/2019 - Hoje, Corpus Christi, nos recorda e ao mesmo tempo renova o mistério da Quinta-Feira Santa, na qual Jesus antes de sua morte redentora, se doa com o seu Corpo e o seu Sangue, como alimento para a vida do mundo e da nossa alma.

Leia mais